quarta-feira, 20 de abril de 2016

LISBOA: BELÉM

Um olhar turista sobre Belém:
"Aterro" de comboio na estação de Belém. Ponho-me a mexer e logo avisto os jardins do Ultramar. Bonitos e bem cuidados, apesar da multidão que ali passa, que fica, aprecia e desfruta. Sabe bem andar pelos jardins.





Em poucos passos chego ao passeio mais pisado de todos e avisto os famosos toldos azuis escuros. Mas que grande fila!!!!!! Não sou eu que ali vou ficar para saborear uns pasteis de nata, embora seja uma grande apreciadora.

Mas como turista devia ficar!! :)

Ali estão todos em pé na grossa e longa fila que dá a volta ao quarteirão. Bem dispostos e com todo o Tempo do mundo ... pois claro, estão de férias :)

E durante todo o passeio sempre que me lembro olho. E olho para ver o que as pessoas transportam na mão, e realmente não encontrei ninguém sem saco de Pastéis de Belém.
Incrível!!! Incrível!!! A minha pergunta teve 100% de respostas afirmativas:

- Tem saco dos Pasteis de Belém?? ;) ;)

Continuando como turista vou ao Mosteiro dos Jerónimos ... sempre imponente.
Mas a fila para comprar bilhete?? Oh!! Metade da fila dos Pasteis de nata. Hum... algo não vai bem com a cultura ... ou será que a bilheteira é mais rápida que os empregados dos toldos azuis?! ....






Continuo pelos jardins e passo a estrada pelo túnel subterraneo de peões.
Fico de frente para o Padrão dos Descobrimentos.

E junto ao rio. Hum... que sabe tão bem.
Embora ali esteja um mar de gente, há sempre um silêncio naquele lugar. Talvez devido à imensidão de água do rio, aos barcos que navegam, ao horizonte ser distante, ou há quantidade de coisas que olhamos ao mesmo tempo: a ponte 25 Abril, o Cristo Rei, os barcos, o rio, a multidão, as aves que voam no céu, ...

Gente em pé, gente que caminha, gente que ri, gente que fica pelo chão, gente que namora, gente ...



Passo por esplanadas cheias de gente e de boa vista também.
38º41´é um bar junto ao rio, que pertence ao hotel Altis.
Está cheio, não posso ficar.



Caminho até à Torre de Belém.


Mas continuo mais além, até ao meu sítio mágico, aquele que descobri há pouco tempo, no último passeio a Belém.
Neste local mágico há muito silêncio e perco-me no tempo.
O lago parece prolongar-se para o rio, brilha e faz um efeito lindo.

Hoje tenho direito ao melhor lugar: o chão atrás de uma das colunas está vazio!! Yupi !!!

E aqui permaneço na contemplação...
As aves vêm beber no lago, e hoje são tantas em simultâneo... quando alguém se aproxima elas voam e embelezam mais o meu quadro ....




Aqui ficam também algumas boas ideias de negócio.


E de regresso despeço-me do local. Até à próxima. Bye