segunda-feira, 9 de maio de 2016

LXFACTORY

Alcântara cá estou eu. Onde viro? Fácil! É só seguir pelas travessas mais movimentadas ... e lá chego ao LXFACTORY.
Atrasada, para variar, embora deteste atrasos.
Circulo pela rua principal... mas nada de fabrica L... pergunto, mas ninguém sabe onde é... vou até ao fim da rua e lá encontro um empregado de caixote do lixo às costas... bom é mesmo este, tem cara de quem sabe. E realmente sabia... mas sabia a zona.
Lá fui à zona, lá por trás dumas casas que mais pareciam estar em ruinas.


Avisto o cartaz da exposição... É aqui!! Entro numa sala cheia de gente e com pessoas em pé... oops... mas isto tem assim tanta audiência??!! ... fazendo umas contas à engenheiro deviam estar ali umas 200 pessoas a assistir. Passado algum tempo consegui uma cadeira.


Até gostei da palestra, embora fosse uma abordagem dos Açores diferente, mais virada para o povo e o modo como vivem.


Após a palestra fui conhecer o local: fui ao Pateo da Cerveja, fui à exposição fotográfica e percorri a rua principal, entrei em algumas lojas e cafés. Tudo cheio de gente.


Mas não "curti" o local, achei agressivo e pesado.





O teto da fabrica L.

Palestra intitulada "Crónicas da Atlântida".


Os graffitis da Fabrica L. 

O teto do Pateo da Cerveja. Muita gente, muita cerveja, música e malta no chão. 

 Graffitis ... a parte mais "clean" do local.


Subida para a exposição fotográfica. 

A rua principal. 

O WC.