quinta-feira, 30 de junho de 2016

CONTRASTES


Um dia desta semana, um dia de manhã.
Neste dia fotografo com a memória uma cena marcante, uma cena cheia de contrastes.
Não tive coragem de tirar uma foto.

Um homem daqueles 3 ou 4 que costumam dormir e passar o dia sob a proteção de um telhado e sobre um colchão negro.
Tudo muito sujo, alguns sacos de plástico pelo chão.
Um homem de barba enorme e enriçada,
cabelo enorme e espesso,
roupa suja, sujíssima.

Um homem que naquela manhã estava sorridente.

Uma dezena de pombos aos seus pés comiam qualquer coisa do chão.
E o homem estava feliz.

Do nada que possui ainda sobrou para alimentar os pombos,
e
o homem estava feliz.