quarta-feira, 15 de junho de 2016

OH! ALENTEJO SELVAGEM

Oh Alentejo selvagem!!!


Os coelhos assustam-se e fogem a cada passo que dou em direção à margem da Barragem.
Sempre que me desloco para a água processa-se sempre da mesma forma.
Os predadores são poucos e não é permitido caçar aqui na zona.
Tantos coelhos e tão queridos, com as suas orelhas espetadas e atentas a todos os sons ...

Resolvi enganar um Coelho ;)
E fiz com ele um jogo de aproximação, o jogo do Silêncio:
  1. dou um passo
  2. o coelho levanta as orelhas
  3. eu paro e o coelho retoma a sua rotina
  4. eu dou outro passo
  5. e ...
Oh alentejo selvagem!!!

snake!!!! snake!!!! snake!!!
Já não se pode estar calmamente sentado na receção em busca do único local com wifi, que aparece logo uma cobra junto aos pés!!!! É uma miniatura de cobra, mas é uma cobra.
Também as há com mais de um metro e bem gordas. Mas então se fosse uma dessas ... quantos "snake" é que eu diria??? lol

Oh alentejo selvagem!!!


As Carpas estão na época da desova e reunem-se todas juntas, em zonas de águas pouco profundas. São tantas, tantas ... grandes peixes ... e parecem ser sensíveis ao som e ao movimento.
Uso a mesma técnica do Silêncio, e passado alguns minutos lá vêm elas tomarem as suas posições, todas juntas em águas tão pouco profundas que os seus dorsos ficam visíveis.

Oh alentejo selvagem!!!



O vento forte sopra e formam-se ondas nas águas da Barragem, ondas com crista branca.
A cada onda que bate no barco a água espirra e molha quem lá vai dentro, desde a cara até aos joelhos ... só mesmo com um impermeável, que protege do sol e da molha.
Junto às margens as ondas são ainda mais fortes.

Paro numa enseada para descansar, mas o vento empurra-me até ao fundo, junto à margem.
Enquanto descanso e me abstraio do meio ambiente para pensar um pouco, sou surpreendida por algo que me bate na traseira do kayak, salta e torna a bater na parte de cima do kayak, e por fim salta para a água.

Aiiiii .................... que susto!!!

Mas afinal era só uma Carpa a saltar fora de água.
E se em vez de bater em cima do kayak tivesse caido dentro??
Como é que eu a tirava dali?
E ela certamente não se deixaria apanhar ... lol

Oh alentejo selvagem!!!

No ar, lá bem em cima, eis que surge um falcão. O seu vôo sereno transmite tranquilidade.