sábado, 22 de outubro de 2016

ALENTEJO: PEGO do ALTAR


Desta vez  a caminhada foi dentro de água :) .... oppsssss .......... 
o Google não engana ;)

Não ficámos molhados mas caminhámos num braço da Barragem Pego do Altar, que no Verão costuma ficar seco. Segundo os guias nos informaram todos os Invernos a barragem enche e todos os Verões há uma parte que fica seca. Grande parte da água que ali falta é utilizada para alimentar os arrozais da região de Alcácer.

Devido a este estado de seca a paisagem torna-se diferente e com umas cores fora do comum, tipo deserto.








No  céu os bandos de pássaros descrevem formas geométricas.
E não passam despercebidos.
Em grupos, uns de cada vez e todos ao mesmo tempo, vão olhando e vendo, parando e comentando:

- Serão patos??
- Serão grus??

Alguém sabe?? Alguém conhece??
Alguém tem zoom suficiente para os fotografar???

Pesquisei em livros de aves e concluí que se tratam de Galeirões-comuns. Pois são pretos, e têm voar de pato mas não são patos.

Pelo caminho também encontrámos alguns animais que pastavam em liberdade.
Não faltando os famosos porquinhos pretos alentejanos.


E até passámos por dentro de uma quinta, que nos receberam com grande ... hum.. os cães não estavam nada simpáticos.
E os perus até nos viraram costas... que mal educados!!! lol


E fomos conversando e andando ... 


E para trás ficou uma manhã muito bem passada,
com o grupo Amigo que também aprecia os bandos no céu.


A Barragem Pego do Altar localiza-se geograficamente entre Alcácer do Sal e a vila das Alcáçovas.


Os  seus braços são longos, prolongando-se até próximo de Alcáçovas, na zona designada por Vale Figueira.